19 de agosto, Dia Nacional do Ciclista


Dia do CiclistaO Dia Nacional do Ciclista, comemorado nesta quarta (19), teve programação especial no Distrito Federal. A ONG Rodas da Paz realizou cafés da manhã na Esplanada dos Ministérios, próximo à Catedral de Brasília e também na passarela da via Estrutural.

O Dia Nacional do Ciclista está ligado ao Distrito Federal, pois marca a data em que a população se mobilizou e transformou em uma bandeira – o desrespeito contra a vida de um ciclista.

No dia 19 de agosto de 2006, na altura da 114 Sul, onde hoje está fixada uma bicicleta branca, o biólogo Pedro Davison, ciclista, jovem, pai de uma menina, foi atropelado e morto. Com a mobilização feita pelo Rodas da Paz, foi identificado o motorista responsável por sua morte.

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDFT) condenou o motorista a pagar indenização aos pais e à filha de Pedro, além das despesas do funeral. Em 2010, ele foi condenado pelo Tribunal do Júri a seis anos de prisão, em regime semiaberto, por homicídio por dolo eventual, decisão até então inédita para esse tipo de caso.

Segundo a ONG, a importância da homenagem ao ciclistas é lembrar que mesmo com a data consolidada no calendário dos grupos cicloativistas do Brasil, no Congresso ainda não é oficial.  “A homenagem é importante para lembrar sobre o arquivamento do projeto de lei. Brasília foi o início de uma luta pelos ciclistas do País, há quase 10 anos após o acidente com o biólogo, o cicloativismo cresceu”, informou.

A organização não governamental (ONG) Rodas da Paz entregou também denúncia ao Ministério Público do Distrito Federal e Territórios referente  aos descumprimentos de alguns artigos do Código de Trânsito e da lei distrital que garante o projeto de ciclovia nas rodovias.

Para a secretária institucional da ONG Rodas da Paz, Renata Florentino,  existe “omissão do Poder Público”.

“Há uma lei distrital de 2005 que garante o projeto de ciclovias nas rodovias. Metade das mortes envolvendo ciclistas no Distrito Federal acontece nas rodovias, e elas não contam com uma estrutura cicloviária adequada”, disse.

Sobre as grandes dificuldades ainda enfrentadas pelos ciclistas, Renata frisou a questão do respeito.

“É importante falar que isto se trata de uma mudança de comportamento, de cultura, então, a dimensão do respeito é sem duvida a principal. Se a gente faz estrutura, mas não educa as pessoas, acaba que a estrutura é mal utilizada. Investimentos em campanhas educativas poderiam receber um reforço maior”, enfatizou.

Ainda em Brasília, os ciclistas vão se reunir às 19h na Estrada Parque Taguatinga (EPTG) com diretores, voluntários e colaboradores da Rodas da Paz. No local, vão expor três faixas para lembrar aos motoristas que bicicleta também é veículo, tem direito de circular na rua, e que uma cidade mais gentil passa pela colaboração de cada um no trânsito.

A manifestação foi ao lado da bicicleta branca que homenageia o ciclista Francisco Vidal, de 42 anos, que morreu em 22 de junho deste ano, vítima do trânsito. A homenagem será nas proximidades da residência oficial do governador do Distrito Federal, em Águas Claras.

Segundo a Organização das Nações Unidas a bicicleta é considerada como o meio de transporte mais ecológico do planeta, e vem ganhando adeptos que se preocupam com a saúde e o meio ambiente, além, de gerar economia ao próprio bolso.

A próxima mobilização da Rodas da Paz será pela instituição formal desta data.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s